PERFIL EPIDEMIOLOGICO E FUNCIONAL DOS PACIENTES ATENDIDOS EM UMA CLÍNICA ESCOLA NA ÁREA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

  • SORAIA DE FREITAS TAVARES DAMASO Universidade José do Rosário Vellano
  • SORAIA DE FREITAS TAVARES DAMASO Universidade José do Rosário Vellano
  • Cinthia Cristina Souza Lopes Universidade José do Rosário Vellano
  • Leticia Kelly Padilha Silva Universidade José do Rosário Vellano
  • Viviane Gontijo Augusto Universidade José do Rosário Vellano
Palavras-chave: Clínica-escola, Fisioterapia, Ortopedia e Traumatologia

Resumo

Introdução: As lesões musculoesqueléticas compreendem as doenças do sistema locomotor e do tecido conectivo e são a causa mais comum de incapacidade crônica no mundo. Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico e funcional dos pacientes atendidos no setor de Ortopedia e Traumatologia da Clínica- escola de Fisioterapia da Universidade José Rosário Vellano-Divinópolis. Metodologia: Trata- se de um estudo observacional, descritivo, retrospetivo realizado com todos pacientes atendidos no setor de ortopedia e traumatologia na clínica-escola e que possuíam ficha de avaliação própria do setor no período de agosto de 2018 a julho de 2019. Foram utilizados para a coleta de dados as informações referentes a ficha de avaliação da clínica e ao questionário WHODAS 2.0. As análises foram realizadas pelo programa SPSS, versão 13.0. Resultados: O estudo contou com 56 pacientes com idade média de 48,46 anos, sexo feminino (75%), casados (57,7%). A dor foi a queixa principal mais prevalente (64%), nos membros inferiores (50%). Os processos inflamatórios (17,5%) e a fraturas (14,3%) foram os principais diagnósticos clínicos. Os domínios do WHODAS 2.0 do autocuidado (38,0%) e mobilidade (32,7%) apresentaram dificuldade extrema. Em média os pacientes apresentaram incapacidade leve. Conclusão: O conhecimento do perfil dos pacientes do setor de traumato-ortopedia da clínica-escola permitiu verificar que predominam os casos mais agudos com quadro álgico de moderado a intenso. Os membros inferiores são os mais acometidos e o grau de incapacidade é leve. Estes dados permitem melhor direcionamento das abordagens terapêuticas direcionadas a estes pacientes e indicam caminhos para estratégias preventivas e de acompanhamento dos pacientes.

Biografia do Autor

SORAIA DE FREITAS TAVARES DAMASO, Universidade José do Rosário Vellano
Professora dos cursos de fisioterapia, biomedicina e educação física da UNIFENAS campus Divinópolis na área de saúde coletiva, epidemiologia.

Referências

- COFFITO – Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Fisioterapia. Disponível em: <http://www.coffito.gov.br/nsite/?page_id=2344>. Acesso em: 20 junho 2019.

- Batista DA. O ser fisioterapeuta: desenvolvimento profissional e qualidade de vida no trabalho. Dissertação Mestrado. Goiana: Faculdades ALFA, 2010. Mestrado em Desenvolvimento Regional.

- Prentice WE; Voight, ML. Técnicas em Reabilitação Músculoesquelética. Porto Alegre: Ed. Artmed 2003.

- Conelly, L. B.; Woolf, A.; Brooks. P. Cost-effectivenessofinterventions formusculoeskeletalconditons. In: JAMINSON, D. T. et al. DiseaseControlPriorities in Develloping Countries. 2. Ed., 2006.

- Watanabe, L.A. Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no setor de fisioterapia de uma clínica de ortopedia em Goiânia. Goiânia: Centro de Estudos Avançados e Formação Integrada, chancelado pela Universidade São Marcos, 2012. trabalho de conclusão Especialização em Fisioterapia musculoesquelética.

- Oliveira AC, Braga DL. Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos na clínica de ortopedia da Universidade Paulista. J Health Sci Inst. 2010; 28(4): 356-8.

- Coelho, R.R. Cap. 22 Doenças degenerativas e reumáticas do sistema locomotor em idosos. In: COELHO, R.R.Fisioterapiageriátrica, ed. 1, 2005.

- Ghisleni, MM; Silva VCC; Santos MV. Perfil Epidemiológico De Ortopedia e Traumatologia da Clínica-Escola de Fisioterapia UNIVATES. Revista Destaques Acadêmico. 2014;6(3):117

- Silva, P.H.B; Lima, K.A.; Leroy, O.L.A. Perfil epidemiológico dos pacientes assistidos na clínica de Fisioterapia Traumato-ortopédica da Prefeitura de Hidrolândia – Goiás. Revista Movimenta. 2013; 6(3).

- ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAUDE. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. 1ª ed.,2 reimpr. São Paulo:Editora da Universidade de São Paulo, 2015.

- Matsudo SM; Matsudo VKR; Barros Neto TL. Atividade física e envelhecimento: aspectos epidemiológicos. RevBrasMed Esporte. São Paulo, 2000;7(1):34-39.

- Batista, CRBN; Deus ZLC; Silva JG; Silva ARV; Carvalho GCN. Health education in adherence to treatment for diabetic patients. Revista de Enfermagem UFPI. Piauí, 2013; 3(2):33-39.

- Moretto LC; Longo GZ; Boing AF; Arruda MP. Prevalência da utilização do serviço de fisioterapia entre a população adulta de Lages, Santa Catarina. RevBrasFisioter. 2009; 13(2):130-135.

- Hespanhol Júnior HC, Oliveira KTF, Oliveira TGV, Girotto N, Carvalho ACA, Lopes AD. Efeito do método Isostretching na flexibilidade e nível de atividade física em indivíduos sedentários saudáveis. RevBrasCiênc Mov. Brasília, 2011;19(1): 26-31.

- Turi BC; Codogno JS; Fernandes RA; Monteiro HL. Associação entre doenças crônicas em adultos e redução dos níveis de atividade física. Medicina. Ribeirão Preto, 2011; 44(4): 389- 95.

- Aurichio TR ;Rebelatt JR; Castro AP. Obesidade em idosos do município de São Carlos, SP, e sua associação com Diabetes Melito e dor articular. Fisioterapia e Pesq. São Paulo, 2010; 17(2):114-7.

- Barro MBA; Cesar CLG; Carandina, L; Torre GD. Desigualdades sociais na prevalência de doenças crônicas no Brasil, PNAD-2003. Cien Saúde Colet. 2006; 11(4): 911-26.

- Sacon AB, Pillatt AP, Berbam LW, Fengler VZ, Bigolin SE. Perfil de sujeitos atendidos na clínica-escola de fisioterapia na área de ortopedia e traumatologia. Revista Contexto &Saúde. 2013; 11(20):1191-16.

- Silva KOC; Oliveira CDR; Silva MP; Medeiros YC; Chacon O; Leite ECF. Perfil dos pacientes atendidos na clinica escola de Fisioterapia no setor de ortopedia e traumatologia. Revista Eletrônica Estácio Saúde. 2015;4(1). Acesso em: 20 abril 2020.

- Batista AGL; Vasconcelos LAP. Principais queixas dolorosas em pacientes que procuram clínica de Fisioterapia. Rev Dor. São Paulo, 2011 abr-jun;12(2):125-30.

- Nogueira, AF; Costa BH; Arruda EF; Leite MB; Sousa CS..Principais DistúbiosTraumato- Ortopédicos Atendidos em Clínicas-Escola de Fisioterapia. Revista Científica FAEMA. São Paulo 2016 Jul/Dez;7 (2):33-44.

- David GP; Costa PT; Fraga Souza GA; Fusaro C. Perfil epidemiológico dos pacientes atendidos no setor de fisioterapia em ortopedia e traumatologia da clínica escola de fisioterapia da Universidade São Francisco. Ensaios USF. São Paulo, 2017;1:46-57.

- Alcântara MA; Nunes GS; Santos BCM. Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho: o perfil dos trabalhadores em benefício previdenciário em Diamantina (MG, Brasil) Ciênc. saúde coletiva. Rio de Janeiro 2011 Aug; 16(8).

- Rossi E. Envelhecimento do sistema osteoarticular. Einstein. 2008; 6 (Supl 1):S7-S12.

- Pietro J; Antunes K; Moura M. Perfil Epidemiológico dos Atendimentos da Clínica Escola de Fisioterapia. Interbio. 2013;7(2).

- Cruz ACP; Aragão VES; Vieira MM; Soares WD; AlvesMR; Rodrigues VD.Perfil dos pacientes de ortopedia e traumatologia atendidos pelos acadêmicos de fisioterapia de uma clínica escola. Revista Multitexto, 2019, 7(2), 40-47.

- Batista SEA; Baccani JG, Silva RAP, Gualda KPF, Vianna Jr RJA. Análise comparativa entre os mecanismos de trauma, as lesões e o perfil de gravidade das vítimas, em Catanduva – SP. Rev Co lBras Cir. 2006;1(33):6-10.

- Lima DF; Inácio SR. Perfil de funcionalidade e incapacidade em portadores de dor lombar na clínica de fisioterapia da Universidade José Rosário Vellano-Unifenas, Campus Divinópolis/ Mg. Divinópolis: Universidade José do Rosário Vellano- UNIFENAS, 2018. Trabalho de Conclusão do curso de fisioterapia.

- Hurba MAB; Deus RB; Barnabé AS; Oliveira RS; Ferraz RRN. Prevalência de agravos ortopédicos e de suas causas em uma populaçãoda região central da cidade de São Paulo. Conscientia e Saúde. 2009; 8(2): 251-257B.

- Balco EM; Marques JMA. Revista Científica CIF Brasil. 2017; 9(9):45-56

- Silva et al.Adaptação e validação do WHODAS 2.0 em utentes com domusculoesquelética. Rev Saúde Pública. 2013;47(4):752-8.

Publicado
2020-12-29
Seção
Artigos