AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICOSANITÁRIAS DE SALGADOS COMERCIALIZADOS EM LANCHONETES UNIVERSITÁRIAS NO SUL DE MINAS GERAIS

Gabriela Esteves Aquino, Rafaela Bergmann Strada de Oliveira, Luciana Rosa Alves Rufino

Resumo


Atualmente as refeições estão sendo feitas fora do domicilio, devido a sua praticidade, e isto não é diferente com os universitários que acabam recorrendo às lanchonetes da universidade. Porém este costume pode gerar a possibilidade de contrair doenças transmitidas por alimentos. A contaminação dos alimentos ocorre devido a diversos fatores, tais como: falta de higiene durante a fabricação, falta de higiene de utensílios, equipamentos e mãos, utilização de alimentos deteriorados, armazenamento e cocção em tempo e temperatura inadequados, contaminação cruzada, etc. Este trabalho teve como objetivo avaliar as condições higiênicossanitárias de salgados comercializados em duas universidades, localizadas no sul de Minas Gerais a fim de detectar possíveis microrganismos patogênicos. Foram coletadas 20 amostras de salgados variados. Foram realizadas analises microbiológicas de controle de qualidade e as analises previstas na Legislação Brasileira, RDC nº12 de 2001. Foi detectado a presença de coliformes termotolerantes, dentro dos padrões permitidos pela RDC nº12 de 2001, porém foram detectadas 80% de bactérias aeróbias mesófilas e 75% de fungos e leveduras. Para os demais microrganismos houve ausência em 100% das amostras. Conclui-se que os salgados atenderam o preconizado pela RDC nº 12 de 2001. A presença de coliformes, bactérias aeróbias mesófilas e fungos e leveduras indicaram valores positivos, o que demonstra uma possível falha em alguma etapa do processo de produção dos salgados, podendo levar a surtos de DTA’s.


Palavras-chave


análise microbiológica, intoxicação alimentar, salgados.

Referências


Souza MD, Hardt PP. Evolução dos hábitos alimentares no Brasil. Rev Brasil Alimentos. 2002; 15(15):32-39.

Teixeira AS, Philippi ST, Leal GVDS, Araki EL, Estima CDCP, Guerreiro RER. Substituição de refeições por lanches em adolescentes. Rev Paulista de Pediatria. 2012; 30(3):330-337.

Faria T, Paula RADO, Germano JDL, Oliver JC, Âlcantara BGVD, Vieira CR, et al. Qualidade microbiológica da água de consumo humano e dos alimentos comercializados em lanchonete universitária. Rev da Universidade Vale do Rio Verde. 2012; 10(2):360-369.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 12, 2 de janeiro de 2001. Regulamento técnico sobre os padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. 10 jan.2001, Seção1, p.45-53. [acesso em 8 abril 2019]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br

Silva MB, Sales WB, Abourihan CLS, Vasco JDMV. Análise de coliformes totais e coliformes termotolerantes em coxinhas de frango vendidas em bares e restaurantes centrais de curitiba-pr. Anais do EVINCI-UniBrasil. 2015;1(3):13.

Guarda VLDM, Bornachi AFB, Rocha BT, Rodrigues TDS. A importância da qualificação de manipuladores de alimentos: estudo de caso na produção de salgados na cidade de Mariana/MG. Caminho Aberto: Rev de Extensão do IFSC. 2015; 1(3):14-22.

Silva ND, Junqueira VCA, Silveira NFA, Taniwaki MH, Santos RFSD, Gomes RAR. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos. 3 ed. São Paulo: Livraria Varela; 2007.

Santos IS, Lima MAT, Carvalho LR. Análise da qualidade microbiológica de pastéis fritos comercializados por lanchonetes e ambulantes no centro de itabuna, BAHIA. Acta Biomedica Brasiliensia. 2018; 9(3):49-60.

Franco BDGM, Landgraf M. Microbiologia dos Alimentos. São Paulo: Atheneu; 2008.

Moreira da Silva LIM, Thé PMP, Farias GS, Telmos BMDA, Fiúza MP, Castelo Branco CCD. Condições higiênico-sanitárias do comércio de alimentos em via pública em um campus universitário. Rev Alimentos e Nutrição. 2011; 22(1):89-95.

Vargas BL, Destri K, Bairros JV, Ribeiro GA, Lund RG, Nascente PDS. Analise microbiológica de salame tipo alemão vendido em feiras- livres. Rev Higiene Alimentar. 2009; 23(174/175):105-109.

Matias, AACD. Analisar as condições higiênico-sanitárias de salgados vendidos em uma região administrativa do Distrito Federal. Brasília: Centro Universitário de Brasília – UniCEUB, 2016. Trabalho de Conclusão de Curso.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual integrado de vigilância, prevenção e controle de doenças transmitidas por alimentos / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2010. 158 p. : il. –(Série A. Normas e Manuais Técnicos). [acesso em 09 abril 2019] Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_integrado_vigilancia_doencas_alimentos.pdf.

Salazar LN, Ficanha AMM, Brusco I, Fogliarini CB, Dalepiane V. Estudo da contaminação microbiológica em amostras de pastéis de estabelecimentos comerciais em um município do noroeste do RS. Rev higiene alimentar. 2015; 29(242/243): 3545-3549.

Lee SHI, Camargo CH, Miranda EDA, Fernandes Junior A, Rall VKM. Qualidade microbiológica de lanches e salgados. Rev Inst Adolfo Luiz. 2013; 72(3): 239-243.

Alves LMC. Avaliação da segurança alimentar na produção de pastelaria salgada: parâmetros microbiológicos, verificação e controlo de produtos. Vila Real: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 2015. Tese (Mestrado em Segurança Alimentar).

Silva Junior EA. Manual de controle higiênico-sanitário de alimentos. 5.ed. São Paulo: Livraria Varela; 2002.

Curi JDP. Condições microbiológicas de lanches (cachorro quente) adquiridos de vendedores ambulantes, localizados na parte central da cidade de Limeira-SP. São Paulo: Universidade de São Paulo - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, 2006. Dissertação de Mestrado em Ciência e tecnologia de Alimentos.

Jay JM. Microbiologia de Alimentos. 6 ed. Porto Alegre: Editora Artmed; 2005.

Paola da Silva J, Valiatti TB, Barcelos IB, Romão NF, Marson RF, Sobral FDOS. Pesquisa de coliformes totais e termotolerantes em pastéis comercializados em ji paraná-ro. Rev Saúde e Desenvolvimento. 2017; 11(7): 178-184.

Kuhn CR, Gandra EA, Ferreira LR, Bartz J, Gonzáles AP, Gayer CDF. Qualidade microbiológica de lanches comercializados na cidade Pelotas–RS. Global Science and Technology. 2012; 5(3): 1-10.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.